Aumentar a auto-estima das crianças!

116011_Papel-de-Parede-Mae-e-filha-116011_1280x1024-1024x819Questionei o meu filho, qual a pessoa que também precisa que gostes muito dela? A mãe! E assim foi dizendo muitos nomes até eu lhe dizer que era ELE. Olhou para mim porque deve achar que isso é um dado adquirido, mas nós sabemos que a auto-estima é algo que por vezes não chega assim de forma tão fácil.

Como sabemos que nos tempos que correm as crianças andam sobre grandes doses de pressão que vão causando ansiedade e muitos medos de falhar, acho que é preciso perceber como podemos contribuir para equilibrar esse estado pessoal e sermos agentes ativos de auto estima!

Confiança em si mesmos, confiança na capacidade de serem capazes, maior respeito por si e pelo próximo, são tudo qualidades que uma boa auto estima imprime na personalidade de uma pessoa.

Dicas para promover a auto-estima nas crianças:

1- Abrace-a todos os dias. Quando acorda, quando chega da escola, quando está triste, quando conseguiu conquistar algo! O abraço é uma partilha muito grande e intensa de energia, não perca essa oportunidade! É uma grande demonstração de carinho que acima de tudo transmite conforto e segurança!

2 – Diga que a ama todos os dias. Diga-lhe que está muito bonito, que gosta sempre dele, que pode contar consigo. Diga-lhe o quanto gosta dele sempre que tiver essa oportunidade. Isso ajuda também a desenvolver a capacidade do seu filho exteriorizar os seus sentimentos, perceber que não existe mal nenhum em dizer aos outros o que se sente.

3- Não desrespeite os seus sonhos para o futuro. Se o seu filho começar a dizer que quer ser bombeiro, então porque não? Sorria e aceite o que ele diz com sinceridade, se ele quiser mudar de ideias ele mudará. Nem todos nasceram para serem médicos ou engenheiros, o importante é estar realizado na sua actividade profissional e sentir-se feliz com isso. Ajude-o a encontrar informações sobre a profissão de sonho para que possa perceber quais os estudos necessários.

4 – Diga-lhe o quanto perfeita é,tal como é. Reforce a ideia da sua aceitação pessoal, de que cada pessoa é única e tem muitas qualidades que a fazem ser única, especial e digna de ser amada. Isto ajudará a diminuir a necessidade de ter que ser aceite pelos grupos de amigos custe o que custar. Isso ajuda a criar força para enfrentar as criticas tecidas pelos coleguinhas que muitas vezes os afetam muito. Fará com que exija de si com qualidade e não com culpabilização por não ser aquilo que os outros desejam que seja.

5_PT_web5- Dê ênfase aos pontos fortes e esqueça os fracos. Dê coragem à sua criança de desenvolver aquilo que a torna mais forte, em vez de se focar em mencionar as características que sente em que ela é mais debilitada. Isto não significa que apenas incentive a sua criança a desenvolver as suas capacidades mais fortes, significa um reforço positivo das suas qualidades, em vez de um negativo pela falta delas. Tente evitar linguagem como: “Tu nunca percebes nada! “, ” Parece que és surdo!”, “Nunca fazes nada de jeito!”, porque além de ser destrutiva, sabemos que estamos a falar de uma situação pontual, mas a criança não!

Dica: Desaprove o comportamento, não a criança.

Eevitar: “Porque não me escutas?” ou “Estou farto de te dizer como se faz” ou “Porque não usas o cérebro?” ou “é sempre a mesma porcaria, só fazes asneiras”

6- Aceite a sua criança realmente pelo que ela é. Por vezes isto é mesmo muito difícil, qualquer mãe ou pai tem uma ideia do que a sua criança deveria ser, e tentam sempre encaminhar a sua criança nesse sentido. Este tipo de comportamento é natural pois significa que se ama a criança e se pretende que ela tenha sucesso. Mas o trabalho de uma mãe ou de um pai é aceitar a criança tal como ela é, e sentir-se feliz mesmo que ela seja uma criança diferente. Projetar na criança os nossos sonhos pessoais também é errado, se era um excelente aluno e o seu filho tem dificuldades, encare isso como um desafio para ambos e não como uma falha dele. Os nossos filhos têm personalidades individuais como os adultos, têm os seu medos e desejos que podem passar completamente ao lado da ideia que tínhamos para eles. Por isso apoie.

7- Certifique-se que a sua criança sabe que pode sempre contar consigo. Mesmo que tudo e todos abandonem e critiquem um filho, ele terá de saber que pode sempre contar com a mãe e com o pai. Esta situação também deve ser reforçada nos filhos de pais separados, que mesmo um dos progenitores não estando tão presente fisicamente, estará sempre lá para ele.

8- Se tem uma filha, então é muito importante começar desde cedo a combater a imagem que os meios de comunicação passam: uma mulher tem de ser perfeita, bonita, magra, etc. Não critique o corpo da sua filha, evite comprar revistas que enfatizem a magreza, a beleza como o mais importante no sucesso de uma mulher. Não se auto-critique em frente à sua filha, não diga que está gorda ou que não gosta do seu corpo. O importante é habituá-los a manter um estilo de vida saudável, uma boa alimentação, exercício físico. Assim o corpo terá sempre um aspeto saudável e bonito, porque beleza vem de dentro:)

        .Diga-lhe que mesmo que nos filmes os homens pareçam salvar sempre a mulher em apuros, eles são óptimos companhias e parceiros, mas que ela não necessitará de um para ser bem-sucedida: ela será capaz de tomar conta de si própria. Além disso os homens não são príncipes encantados, por isso ensine-a a lidar com as diferenças, com os defeitos, para que ela possa  ver o rapaz da escola, como um ser humano que tal como ela também está a crescer e a fazer as suas escolhas.

9- Ensine-a a respeitar os outros. Uma criança que saiba tratar bem os outros e que saiba sentir compaixão pelos mesmos, será alguém mais feliz, pois não irá fazer outros sofrer deliberadamente e sem consciência. Assim poderá ajudar a combater o bulling, a fomentar amizades mais sinceras. Tente que não goze, não faça queixinhas, mas sim que ajude os colegas na escola.

10 -Oiça realmente o que a sua criança tem para dizer. Não se limite apenas a acenar com a cabeça, responda e mantenha um diálogo. Isto parece mais simples do que é, com a correria do dia-à-dia em que quase nos sobra apenas o tempo no carro de regresso a casa, ou o jantar, muitas coisas ficam por dizer e contar, e fingimos que ouvimos mas nem prestamos atenção, só dizemos que sim para eles não ficarem chateados. Se não passar a ferro hoje tudo, passe metade, o resto do tempo dedique a dar atenção ao seu filho. Crescer com a ideia de que ninguém nos ouve, fará de nós adultos com dificuldade de expor as nossas ideias e sugestões.

11- Esteja disponível. Mesmo que trabalhe muitas horas, sempre que estiver com a sua criança seja alguém realmente presente, esteja realmente com ela, interaja e faça-a sentir a sua atenção. No final do dia coloque-a na cama, leia-lhe uma história, converse com ela e seja alguém realmente presente, termine sempre o dia com um abraço e um carinho especial.
Seja um exemplo de educação. Se a sua criança vir em si falta de educação então ela sentirá que pode fazer o mesmo, nada como um exemplo. As crianças aprendem com o que vêm e não tanto com o que lhes dizem.

12- Dê liberdade à sua criança de tomar as suas decisões. Mesmo que seja a decisão com que brinquedo prefere brincar, deixe-a escolher e sentir que depois de uma decisão existe uma consequência. As crianças não têm muito controlo sobre as suas vidas, por razões óbvias. É importante não fazer nada por uma criança que saiba que ela é capaz de fazer por si própria. Regra geral tendemos a dizer-lhes que façam aquilo que achamos que tem que ser feito, e outras vezes eles querem montar a pista dos carrinhos e você sabe que dali a 5 minutos vão dormir e terá que ser arrumado, então diz logo que não! Faça um acordo: quando faltar 2 minutos para a cama a mãe diz para começares a arrumar! Se a mochila da escola que querem é horrível para si, mas se é confortável para a coluna…é ele que vai andar com ela…deixe-o escolher!

cristaono_ronaldo13- Ensine-lhe que ela será capaz de fazer tudo a que se dedique. Ensine a sua criança a não ter medo dos falhanços ou fracassos da vida, o perfeccionismo não existe e errar é natural. Pode dar os seus erros como exemplo, para demonstrar que ninguém é perfeito, e se algo corre mal não é o fim do mundo. Tudo se consegue praticando e treinando. De-lhe o exemplo do Cristiano Ronaldo, que é o melhor porque sempre trabalhou para isso. Mas que também falha, que fica triste, mas que contínua sempre a lutar para jogar da melhor forma possível.

14- Reconheça os seus feitos. Reconheça os esforços da sua criança e não apenas o resultado dos esforços. Reconhecer que a sua criança, apesar do resultado, se esforçou para conseguir algo é muito importante, diga-lhe que o que interessa é o esforço que ela fez para conseguir.  Eu sou a favor que de vez em quando se deve dar um presente quando eles conseguem fazer alguma coisa. Uma vez o meu filho demorou uma tarde inteira para fazer os TPC, já estava tudo num alvoroço! Quando ele terminou, fizémos uma dança para ele perceber que conseguiu!

O adequado: “Que lindo que está, conseguiste fazer as orelhas do cão perfeitinhas, tens um traço forte e preciso, entretanto conseguirás desenhar melhor as patas.”

O desadequado: “Que lindo está, está maravilhoso, tão inteligente, sais ao teu pai. Tenho o melhor filho do mundo.”

15- Ensine-a a não se preocupar com o que os outros pensam dela. Ensine-a que o que os outros pensam não é motivo de impedimento de nada do que deseje alcançar. A crítica e o desdém dos outros não são saudáveis e tornam-se destruidores se a criança aprender que deve dar atenção a esse tipo de atitude. Se os outros não gostam não têm de olhar.  Aqui realço que é necessário reforçar que más atitudes magoam os outros, fazer lago ruim e depois pensar, mão me interessa o que os outros pensam de mim é errado.

16- Nunca goze ou aponte os defeitos da sua criança. Chamar a criança de estúpida, burra, incompetente, ou gozá-la por algo que ela fez é um jamais não! Se a sua criança tiver medo de algo, ou se sentir nervosa por fazer um actividade, diga-lhe que é normal o que está a acontecer, e que com o tempo esse medo desaparecerá. Não vale nem a brincar, eles podem não ter estrutura para perceber isso…se nem muitos adultos têm!

17- Encoraje-a a ser aventureira e a experimentar novas coisas. Embora o instinto natural seja proteger os filhos, impedindo que se magoem, pode fazer com que a criança comece a sentir medo de experimentar novas coisas. Existem muitos campos de férias com atividades radicais para cada idade. E isto é só um exemplo. Isto confere de futuro capacidade de se adaptar correctamente às mudanças que a vida nos impõe.

18- Incentive o uso da imaginação. Dê a liberdade criativa que uma criança necessita para se desenvolver, encorajando-a a brincar com a imaginação. Pintar com os dedos, fazer castelos na areia, tudo vale quando falamos numa imaginação trabalhada, só não vale ser careta e ter medo de sujar a roupa!

Alguns comportamentos que ajudam a construir uma forte autoestima:

Sorrisos
Abraços
Toque
Aceitação
Tempo de qualidade
Escuta
Ser solidário
Cooperação
Atitudes ausentes de crítica destrutiva
Atribuir responsabilidades

Estas são algumas dicas simples que de certa forma todos nós temos já intrínsecas em nós, mas nem sempre conseguimos aplicar, e por vezes sem dar-mos conta, em vez de ajudar estamos a complicar.

Tudo o que é feito com amor é bom…o resto de certeza que vem por acréscimo.

Muita Luz

Sara Aisha

Anúncios

One thought on “Aumentar a auto-estima das crianças!

  1. Pingback: TPC’s – vamos a dicas? | crianças de luz

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s