Como lidar com um Indígo

reiAmigos, tendo eu reparado na importância que este tema tem tido junto de vocês, volto a ele com mais algumas ideias que acredito serem importantes reter para lidarmos da melhor forma com as nossas crianças Indigo.

São crianças que se apresentam como um desafio para todos nós e por isso merecem toda a nossa atenção e compreensão para juntos evoluirmos de forma harmoniosa e feliz, e com sensação de dever cumprido.

O que fazer ( para crianças e adolescentes)

1-  Quando  lhe fizer uma pergunta diga-lhes a verdade: além de qualquer pessoa merecer uma resposta real, eles facilmente compreendem se estamos a enganá-los e com isso identificam uma fraqueza nossa e começam a usar isso me seu favor.

2- Não tenham divergências de casal em frente a elas, isso também se aplica a qualquer criança, mas o Indigo também pode aproveitar isso para manipular os pais a seu favor. Eles percebem bem o que se passa entre os pais, e apesar desta sua habilidade, eles não gostam de assistir a discussões ou violência.

3- Nunca os humilhe, tente não ser arrogante com eles. O tratamento deve ser sempre carinhoso. Com isto não significa que não seja firme ou que não estabeleça limites, sim deverá fazê-lo mas de forma a que ele se sinta respeitado como ser que é. Não seja também muito autoritário, não dê ordens sem razão, isso vai fazer com que automaticamente ele se recuse a cumprir as suas ordens. É preciso saber estabelecer estes limites e ires ajustando-os conforme a idade e a situação para desta forma se promover correctamente o crescimento emocional e espiritual da criança. É ser firme e justo ao mesmo tempo.

4- Seja o mais orientador possível. O Indígo por vezes tem dificuldade em ser autónomo, em vez de fazer as coisas por ele, ou lhe dizer tudo, seja um motivador para que ele aprenda a procurar as suas soluções. Dê-lhe opções, explique o porquê dessas opções, assim ele vai começar a ter uma forma de agir mais estratégica.

5-  Mesmo ainda em bebé, fale com ele, explique-lhe o que está fazendo para ele e com ele. Ele vai sentir que lhe está  a dar atenção e fica cheio de vontade de lhe retribuir esse carinho. Utilize uma linguagem carinhosa e calma, pois também o vai ajudar a desenvolver a fala.

6- Não o critique pela negativa, tente apoiá-lo o mais possível, faça com que compreenda os seus erros para perceber como se podem resolver e não se tornarem bloqueios emocionais. E com isso tente não forçar um tema que de não gosta mesmo, ajude a encontrar opções que se encaixem mais à sua personalidade. Deixe que eles tenham os seus projetos para não se tornarem em seguidores. Evite os castigos de: o homem mau vem-te buscar se não comeres a sopa! Ele rapidamente vão perceber que esse homem não existe.

Indigo_Child17- Evite a raiva, os gritos, isso vai fazer com a criança tenha medo de si em vez de se sentir protegida. Se a repreender deixa que ela pense sobre o assunto e o avalie, e quando todos estiverem mais calmos, fale com ela, explique que a atitude não foi correta e que se deve fazer de outra forma. Por mais que seja complicado, tente sempre estar o mais tranquilo possível. Não puna tanto, punir faz florescer o sentimento de culpa, repreenda a atitude, mão a criança, pois isso responsabiliza.

8 – Não discuta sobre ele à frente dele pois ele vai querer participar na discussão. Ou mesmo sobre outro assunto, ele vai sempre querer dar o seu palpite mesmo que não tenha nada a ver com ele.

 

Na escola:

“As turmas do índigo devem ser pequenas e o professor não deve ser um superior, mas um aliado. Uma maneira de trazer a atenção do índigo é lhe passar tarefas significativas, papéis de responsabilidade. Ele deve ser convidado para ser o monitor, um auxiliar do professor e jamais deve ser repreendido em público, muito menos de maneira estúpida ou severa.”

Carta de um aluno Indigo a um professor:

Olá e obrigado por ler a minha carta.

Eu sou aquela criança que normalmente não pára quieta na carteira, e a quem está sempre a dizer para se calar. É que, às vezes, eu entendo as coisas antes do Senhor acabar de explicar a matéria e, se tem de repetir, aborreço-me.

Às vezes posso ser muito mal-educado ou explosivo para chamar a atenção. Gosto de falar de temas que o senhor “acredita” não serem para a minha idade. Está sempre a dizer aos meus pais que não consigo aprender, no entanto, se alguma coisa me interessa aprendo facilmente, mas quando já tenho conhecimentos suficientes ponho de lado porque me aborreço.

Não contesto a autoridade, mas o entendimento e as explicações. Aprendo por imitação: o seu exemplo para mim é muito importante. Segundo o senhor, estou sempre a transgredir as normas e a criar outras. Sou esse génio em “potência” que se se concentrasse em algo seria melhor…

Os meus pais levaram-me ao médico e dizem que tenho ADHD, uma coisa chamada “Deficiência de Atenção com Hiperactividade”, e isso quer dizer que não paro quieto, não posso prestar atenção durante muito tempo, distraio-me facilmente e, além disso, sou hiperactivo.

O médico queria que eu tomasse Ritalin (a minha mãe recusou dizendo que as anfetaminas criam toxicodependentes). Então, ela investigou e, agora, faço coisas que direccionam a minha energia (desporto, artes marciais, Tai-chi, Yoga), e evita dar-me alimentos com açúcar ou glucose e sinto-me mais calmo.

Não gosto que me tratem como criança, talvez saiba menos de certas coisas, mas isso não significa que não saiba. Estou no meu processo.

Dê-me mais tempo para assimilar as coisas, pois aprendo de maneira diferente.

Se eu não aprendo de uma forma tradicional… porque usa sempre a mesma maneira? Quem sabe se fosse um método mais prático?

Estou sempre a perguntar… porquê? Isso não quer dizer que o estou a pôr à prova, tenho somente curiosidade. Se não souber a resposta diga-me. Não seja evasivo, guie-me para eu encontrar a resposta.

Gostaria que me incluísse quando tomasse decisões que me afectam, não sou simplesmente mais um aluno.

Gostaria que reconhecesse que sou diferente e não que me classificasse como diferente.

Não sou nem mais nem menos que o senhor. Se me explicasse para que serve o que estudamos e que para conseguir certas coisas preciso de disciplina, reagiria de maneira diferente.

Quando não me conseguir concentrar faça alguma actividade para me distrair: um jogo, música, dança… Mas não grite comigo.

indigo3Sei que muitas vezes se desespera na sala de aula pois nenhum de nós lhe presta atenção. Já se preocupou em saber o que realmente nos interessa?

Despeço-me com Amor José Manuel’

(Este texto foi escrito por José Manuel Piedrafita Moreno, Educador e Índigo Adulto. É livre de usar e divulgá-lo desde que não altere integral ou parcialmente, incluindo os créditos)

inUniverso de Luz

Muita Luz

Sara Aisha

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s