A educação espiritual na infância

2014_07_discriminacao_crianças_clade_reproducao Olá amigos, espero que estejam ótimos e bem melhor do que eu, que pela segunda vez no mesmo mês fui abduzida pelo monstro da gripe e da tosse devido a este verão fora de época que sabe bem, mas também faz mal:) Mas fora isso estou bem e feliz! Hoje venho aqui falar de um tema que me é muito querido, na realidade todos são, mas há uns que eu me identifico mais então sinto uma responsabilidade maior em abordá-los, mas faço e dou o meu melhor, como devemos fazer em tudo na vida. Ao longo dos anos, talvez nos últimos 14 , a minha perspectiva sobre a espiritualidade e religião sofreram mudanças enormes. Tem sido um caminho travado por mim em busca das minhas respostas pessoais para que possa seguir um caminho que me faça sentido e onde sinta que me encaixo. Por volta dos anos 90, foi edificada uma nova igreja no fim da minha antiga rua. Sou curiosa então um dia decidi ir sozinha à missa. Aquilo para mim foi grandioso, todo o ritual, as pessoas, aquela linguagem que eu não percebia mas que acreditava que devia ser muito certa. Levada pela curiosidade, e por achar que tinha que ir porque via toda a gente a caminho do altar, fui comungar, e além do embaraço do padre a explicar-me como tinha que colocar as mãos para receber a hóstia, tenho a certeza absoluta que a devo ter mastigado! Como devem imaginar, quando contei este episódio percebi logo que devia ter cometido ali o meu primeiro pecado! Conto este pequeno episódio da minha vida, porque acho que ele resume muito bem a minha posição em relação às religiões ou à espiritualidade. Existe uma quantidade infinita de regras e rituais que não me fazem sentido, mas que têm que ser seguidos, se não não és um bom católico, jeová, evangelista, seja lá o que for que a pessoa processe. Na minha modesta opinião, penso que por vezes somos quase que “obrigados” a seguir tantas condutas, que não nos fazem sentido, mas que estão mais do que canonizadas, que nos esquecemos de valores mais altos como, ajudar o próximo, não fazer mal ao outro, respeitar os semelhantes. Mais facilmente apontamos o dedo a quem mastigou a hóstia do que o aplaudimos pelo bem que faz. E é aqui que entra a educação espiritual nas crianças, como meio de transmissão de valores verdadeiros que crie bases sólidas de fé, força de carácter e amor! Quando eu frequentava a igreja católica e o meu grupo de jovens ( de quem guardo um saudosismo daqueles de verdadeiros bons tempos!), acreditava que a educação católica era a mais correta, mas aos poucos percebi que me tornava fundamentalista e foi aí nesse instante que a minha mente começou a interrogar-se, haverá mais que isto? seminarioculturadepaz2013Não venho aqui falar das minhas opções espirituais, porque são as minhas e porque sei que cada um encontra conforto e orientação na doutrina que mais lhe aprouver, e felizmente que somos livres por poder escolhe-la. Apenas acho que seja qual for a nossa opção, devemos sempre, mas sempre lutar por nos tornarmos pessoas melhores! Quando ele for grande escolhe! Durante alguns anos eu defendi com unhas e dentes que não deveria dar nenhuma educação religiosa ao meu filho, ou futuros filhos, porque achava que a escolha devia ser deles. E como eu sei que há muita gente que defende esta mesma ideia, venho dizer que não a desrespeito mas que tenho atualmente uma visão bem diferente da mesma. Uma  vez uma amiga disse-me que tinha batizado o filho porque achava que isso era o correto, e porque é para isso que os pais servem, para educar mediante aquilo que acham correto, e depois mais tarde ele poderia seguir o seu caminho. Foi a partir daí que comecei a ver esta situação por um novo prisma, e no fundo concordei com ela, e compreendi, então como é que eu, que acho que a educação espiritual é tão necessária não a estou a dar ao meu filho?   Dando liberdade: Por isso neste momento da minha vida, acredito que providenciar uma boa educação espiritual, baseada em principio bons, e que crie crianças mais seguras é ótimo! A escola transmite valores, a família transmite valores, a espiritualidade também. Criamos assim crianças mais completas, não descurando o seu lado mais emocional.   Depois mais tarde, cada um segue o seu caminho.   Muita luz

Quarto Montessoriano- decorando quartos para crianças

montessori04Olá amigos,a primeira vez que ouvi este “palavrão” Montessoriano, não compreendi que estava a falar de um tipo de decoração que pretende vir dar uma resposta mais adequada à decoração de quartos ou até de salas de aulas de crianças.

Afinal todas as crianças acabam por se sentir um pequeno Gulliver na terra dos Gigantes, e porque não criar um mudo à medida delas onde se possam movimentar em maior segurança. Com mais espaço e menos dor de cabeça para nós, pois já não vão cair da cama!

Então fui pesquisar este tema, como tantas pesquisas que tenho feito para o meu blog e que tanto me têm ensinado. Aproveitei este maravilhoso mundo da internet e fui tentar conhecer um pouco mais deste conceito inovador mas que acredito que seja pouco usado ou mesmo divulgado…acredito que Portugal não o coloque muito em prática…ainda somos um pouco resistentes à mudança.

 

Como surgiu?

Foi através de uma médica de nome Maria Montessori, que nasceu este método educativo que visa desenvolver e incentivar a independência da criança, o respeito pelas suas habilidades físicas naturais, socais e psicológicas.

O quarto montessoriano defende a ideia de que o ambiente deve ser valorizado de forma a garanta conforto e autonomia à criança.

E nesse método, que defende a individualidade e a liberdade da criança, esses aspectos devem ser estimulados desde cedo, no ambiente em que ela vive. Assim surgindo a ideia do Quarto Montessoriano, valorizando o ambiente, conforto e autonomia da criança!

 

montessoriComo é o quarto montessoriano?

É um quarto minimalista, com pouco móveis dispostos de forma a serem acessíveis às crianças, que crie um ambiente tranquilo, seguro e confortável. Aqui a criança poderá expressar-se livremente e desde cedo cultivar a sua criatividade.

 

Como se decora?

– A cama deverá ser colocada no chão para que a criança possa sair e entrar quando quiser. Coloque almofadas no chão ou encostadas à parede junto à cama para que a criança possa andar pela cama sem cair ou bater no chão.

– Moveis pequenos. Temos muitos à venda agora no IKEA uma vasta linha de cadeiras e mesas com o tamanho certo para as nossas crianças. Coloque os brinquedos à mão, prateleiras em baixo, ou seja monte uma espécie de quarto dos pequeninos!

– Espelhos, coloque-os na vertical à sua altura, se for um bebé pode mesmo colocar um rente a chão para que a criança se possa ver e reconhecer.

-Sabe as barras dos estúdios de dança? Que tal colocá-las nas paredes da sua casa? Assim o bebé vai poder andar sozinho pela casa. Claro que é preciso ter atenção a escadas, portas, mas com os cuidados tomados a criança pode ser muito mais autónoma.

– Coloque as roupas a uma altura onde a criança possa chegar, então as meninas vão agradecer!

montessori09pequenos detalhes…

…usar…

…poucos moveis…

…tapetes fofinhos…

…colocar os objetos à altura dos olhos da criança…

 

 

Muita Luz

As crianças e o voluntariado

depositphotos_21314155-Crianas-voluntriasOlá meus amigos,

hoje venho aqui falar de um tema pelo qual tenho grande carinho e respeito que é o voluntariado. 

Já participei em algumas campanhas como voluntária e posso afirmar que é sempre uma experiência muito enriquecera para quem participa e muito importante para quem é beneficiado.  Ser voluntário é de tal ordem gratificante a nível pessoal, que muitas vezes o encontramos como uma das formas de combater a depressão.

Mas eu acredito que o voluntário acima de si, deve ter a vontade de ajudar o próximo, de dar de si para o outro e com isto trabalhar para um Mundo melhor e para uma humanidade mais consciente.

Com a chegada do natal ( que já está aí à porta) muitas são as campanhas de solidariedade que solicitam a participação de gente com vontade de trabalhar. Então eu decidi investigar se também existe voluntariado para crianças. E porque não? Afinal é desde pequenos que começamos a formar os nossos valores.

 

Primeiro convido-vos a ler a Declaração Universal sobre o Voluntariado para compreenderem um pouco mais sobre a importância do voluntariado.

 

Como contribui o voluntariado para a formação pessoal da criança?

– Desenvolve suas capacidades e aptidões da criança. Veja como o projeto Book Buddies, contribuiu para o desenvolvimento na leitura infantil.

“De acordo com estudos realizados na Tufts University:
– Animais de estimação podem ser considerados como uma fonte de apoiobook-buddies-mattighan-pagan
– A interação entre humano e animal pode tornar o processo de aprendizagem mais confortável e agradável para as crianças
– Crianças autistas que tiveram contato com animais demonstraram um aumento significativo do uso da linguagem e melhoras nas interações sociais
– Os animais podem não ter uma presença ativa na leitura, mas fornecem apoio e conforto para as crianças, sem julga-las.” in o verso do universo 

– Compreendem o papel que cada um tem na preservação do ambiente, da comunidade e nas relações humanas. Conheça este projeto no Brasil que envolveu 50 mil crianças em regime de voluntariado:  Mãos que ajudam.

 

Leve os seus filhos!

Quando tive a oportunidade de participar na recolha de alimentos para o Banco Alimentaralguns dos parceiros que estavam comigo puderam levar os seus filhos para esta iniciativa. E é muito engraçado assistir ao empenho deles na recolha dos sacos e a informar as pessoas o que é necessário. Penso que é uma boa oportunidade para lhes mostrar a importância de ajudar o próximo deixá-los participar.

É já muito frequente encontrar crianças a participar nestes eventos de recolha de alimentos para desfavorecidos ou campanhas de recolha de alimentos para animais, é sinal que se preocupam e estão dispostos a ajudar.

 

Quando são mais crescidotes:

Este verão encontrei um largo número de adolescentes nas praias da linha de Cascais a fazer limpeza de praia. Não sei se o trabalho seria voluntário, mas acredito que sim. É bom perceber que existem jovens preocupados com a manutenção dos espaços públicos e preservação do ambiente.  Penso que também os podiam colocar a fazer campanhas de sensibilização junto da população, pois isso também iria enriquecer o seu currículo e iriam sentir-se importantes por estarem a ensinar os mais velhos!

 

Participe!

Como pai e mãe dê o exemplo! Participe em campanhas de voluntariado e explique aos seus filhos a importância das mesmas para combater a desigualdade social, o egoísmo, a ganância e para desenvolver o altruísmo e a cooperação.

Nas campanhas de recolha, se puder (porque sei que a vida está complicada), mas se puder, participe e peça ajuda ao seu filho para reunir os alimentos ou outros objetos para dar no final das compras.

Agora no Natal existem muitas campanhas de recolha de brinquedos, faça com que ele separe alguns e os leve para dar aos meninos mais desfavorecidos!!!! Afinal o Pai Natal é para todos!

 

 

Muita luz!

Crianças indigo – conheça algumas

Olá amigos,

antes demais, vamos dar assim um grito daqueles bem bons!!!!! É sexta feira!!!! Aquele dia que tanto esperamos:)

Por isso aproveitem bem estes últimos dias de calor e vão até à rua e façam piqueniques, andem de bicicleta, uma corrida e uma jogatana de bola com os filhos!!! Vale tudo, menos ficar em casa!

Mas hoje não venho aqui falar de planos de fim de semana, venho falar de crianças especiais que tornaram o seu conhecimento e abordagem do mundo e da vida públicos.

Este artigo tinha que vir, porque eu não acredito em coincidências, mas em mensagens que nos são “sopradas aos ouvidos” para que depois possamos divulgar por todos e com isso aprendermos um pouco mais.

Ontem estava a falar com um colega sobre o meu blog. Tivemos algumas conversas entre o foro cientifico e espiritual e ele falou-me de uma criança que tinha grandes memórias de outras vidas que se tornou famoso e eu fiquei com muita curiosidade. Além disso hoje ouvi na rádio pela manhã o quanto as escolas estão mal preparadas para as crianças super dotadas.

Então..vamos conhecer alguns! Bora lá!

 

Assim conseguimos compreender a grandeza destas crianças!

 

20130327140400_06  Boriska:  nasceu na Rússia em 11 de janeiro de 1996  e que diz ter vivido em Marte e que alertou para muitos acontecimentos na Terra.

Aconselho a leitura em:  Nova Era – Alvorecer ; UFOS Online  

 https://www.youtube.com/watch?v=1ohIjjq_9gA

 

akiane-jcAkiane: nasceu nos EUA em 1994 e é desde muito cedo uma artista e poetisa. Vale muito ver os seus trabalhos e conhecer um pouco sobre esta jovem e o seu famoso retrato de Jesus.

Aconselho a leitura em: Nova Era- Alvorecer, blog Mãe de crianças superdotadas

https://www.youtube.com/watch?v=-bmzrjECGgY

 

akritjaswalArkit Jaswal: nasceu em 1993 na Índia é o mais jovem cirurgião do mundo.

Aconselho a leitura em: Nequidnimis

 

Muita luz